Histórias de Vida

O sentimento de ser ginete...

Data: domingo, 18 de março de 2018 - Hora: 10:57


Começou domando um petiço da estancia e andar a cavalo aos dois anos. Criado na campanha, hoje é um homem que entende da lida campeira. Além de ter alguns freios nas prateleiras ...
Ele é Claudio Fagundes, nacido em Uruguaiana e atualmente casado com Andresa Fagundes com quem tem uma filha; o orgulho deles, a Bruna de onze anos.
A família do Claudio sempre foi da lida do campo, das antigas estâncias. Foi aí, nessas lidas que com dez anos domando um petiço, despertou um sentimento que ele ainda não conhecia.
O sentimento podemos dizer hoje, de ser ginete. Um sentimento que só cresceu conforme passaram os anos, e foi acompanhado de sonhos, objetivos e metas.
Com 16 anos começa a maior responsabilidade dele, que é tocar uma cabanha sozinho. Lugar onde permaneceu 21 anos; a Cabanha Itao.
É nesta cabanha e que Claudio diz que tudo começou, lá ele iniciou sua vida como ginete profissional no ano 1997 e se abriram grandes portas a grandes conquistas.
Na trajetória que viveu na cabanha realmente foi muito boa e aproveitável pois lá montou bons cavalos, cavalos que contribuíram a fazer seu nome como ginete do Freio de Ouro.
Nome que ele se orgulha tanto de levar, pois ele já conquistou freio de ouro e prata no mesmo ano!
És o único ginete a ter esse título.(Infância do Itao Freio de Ouro e Jura de Itao Freio de Prata)
Continuando...
Decisões tem que ser tomadas, mas na hora certa.
A decisão do Claudio, foi continuar sua trajetória como profissional sozinho. O ginete queria montar seu próprio centro de treinamento.
Com o amor e companhia de esposa e filha, tudo foi possível. A decisão foi tomada, e um novo caminho começou.
Caminho que começou muito bem, pois já no começo neste ano ele foi Bocal de Ouro em abril, e Freio de Prata nos machos com La Castelhana Espelndor.
Freio que a gente tinha interesse em saber como foi a emoção de tê-lo ganhado.
Claudio diz que foi um momento muito emocionante, e que claro, tinha a ferramenta pra consegui-lo. Segundo ele, o cavalo tinha a vontade de dar o melhor de si, e ir em busca de algum lugar no pódio. Um cavalo extremamente sadio e com habilidade para fazer o que o ginete pedisse.
Os dois estavam com vontade de fazer o melhor, confiando no trabalho feito em casa o pai do ceu os ajudou, a conquista veio.

Conquistas que o Claudio só tem a dizer...
"Pode ser mais hoje ou mais amanhã, mais elas vem"

Por aquí fica uma história de superação, de superação de saber que as coisas elas chegam quando fazemos com dedicação, fe, e gosto.
Sem pressa, confiando que a hora certa e o velho la de cima que sabe..

Texto: Maria Eduarda Sanes



Venha e participe Conosco!
Deixe seu comentário,
Até a próxima.

Já viu os animais que vendemos? Veja Aqui!