Histórias de Vida

"El Mago"

Data: quinta, 22 de março de 2018 - Hora: 10:57

Vou tentar resumir um pouco da história do Revuelto conosco.

Tudo começou na Expointer de 2009 quando eu, meu pai Luizantero e meu irmão Telmo estávamos próximos às cocheiras dos Cavalos Crioulos observando alguns garanhões para incorporar em nossa manada. Neste momento chegou por ali nosso amigo e também criador Leônidas Burtet Junior, e ficamos conversando.

Terminada a Expointer, na semana seguinte, dia 7 de setembro, uma segunda-feira, o Burtet ligou para o Telmo dizendo que à noite teria o "Leilão da Pátria" e que, neste, teria um reprodutor à venda, muito bonito e com uma excelente genética. O Telmo, que na época morava em Cruz Alta, nos ligou e falou daquele cavalo de nome um tanto peculiar: RZ REVUELTO CRISTAL DA CARAPUÇA. Na mesma noite, estávamos em uma reunião do Núcleo de Cavalos Crioulos de Santa Maria, quando o pai falou deste cavalo aos presentes, indagando se alguém tinha interesse numa parceria. Vitélio Rigão prontamente atendeu ao chamado.

Ao final da noite o cavalo era nosso, comprado por uma cifra ínfima perto da qualidade do produto e dos valores exorbitantes que na semana anterior estavam nos pedindo por garanhões que futuramente não tiveram o mesmo desempenho de Revuelto.

Em julho de 2010, quando iríamos iniciar o treinamento funcional, nosso ginete de confiança e com seu Centro de Treinamento próximo de nossa propriedade, o Daniel Teixeira, não estava recebendo animais de fora, pois havia firmado compromisso com cabanhas importantes da raça. Revuelto foi então para o CT do Zeca Macedo.

Na Expointer de 2010, aconteceu o inverso, o Zeca fechou seu CT com algumas cabanhas, nos comunicou que estava devolvendo os cavalos que recém haviam chegado para ele e nos sugeriu que mandássemos ao Daniel (mas como assim? O Daniel não estava com o CT fechado?). Não estava mais. Começava ali a grande parceria entre Daniel e Revuelto.

Em sua primeira credenciadora, em abril de 2011, em São Gabriel, apenas duas semanas antes do Bocal de Ouro daquele ano, vencemos a prova, mas com uma nota que não empolgava muito, o que deixou a todos, proprietários e ginete, um tanto céticos quanto à participação na prova do Bocal que se aproximava.

No Bocal de Ouro, o primeiro dos proprietários que chegou foi o Telmo que, entre tantas conversas com o Daniel, na terça e na quarta-feira daquela semana, não cravavam a participação do Revuelto na prova, pois este ainda apresentava alguns "poréns" que não agradavam ao ginete.

A participação só foi confirmada por insistência do Vitélio, que fez com que o Telmo e o Daniel chegassem ao seguinte prognóstico: - Vamos colocar na morfologia e ver como vai ser! Revuelto saiu em segundo na fila morfológica. Novo prognóstico do Telmo e do Daniel que ainda não estavam convencidos: - Vamos correr as andaduras, figuras, volta sobre patas e esbarradas e ver como vai ser! Revuelto terminou aquele dia em segundo lugar. Visto que o cavalo tinha condições e qualidades, fomos até o final e Revuelto ganhou sua primeira grande prova: o Bocal de Ouro 2011. No Freio de Ouro daquele ano, Revuelto cravou seu nome como um dos grandes da Raça Crioula e sagrou-se Freio de Bronze.
Ao final de 2011, para aproveitar o treinamento do cavalo, Revuelto venceu a credenciadora de Júlio de Castilhos, correndo "em casa" e vencendo grandes cavalos daquele ciclo, como Quatrilho do Purunã e Balaqueiro do Nonoai. Ainda em 2011 veio o convite para a disputa do Freio de Ouro FICCC, a ser disputado em 2012 no Uruguai.

Em maio de 2012, lotamos um ônibus de amigos, torcedores da dupla Daniel/Revuelto, e rumamos a Montevideo. No parque do Prado, RZ Revuelto Cristal da Carapuça ganhou seu primeiro Freio Internacional, o Freio de Prata no Uruguai, surgiu então o apelido de "El Mago", por nunca ter terminado uma prova fora do pódio, tanto no Brasil, quanto fora dele. Na Expointer de 2012, como de costume, "El Mago" foi pódio novamente, sagrando-se bi-Freio de Bronze.

Em 2013, Revuelto ganhou um descanso das provas funcionais e fez campanha morfológica, classificando para a Expointer como Grande Campeão no passaporte de São Borja. Na Expointer 2013, sagrou-se 4º Melhor Cavalo Adulto. Iniciava a primeira aposentadoria do Revuelto.
Mas em 2015 ele retornou às pistas. Após muitas reviravoltas quanto à regulamentação, finalmente veio o convite para os campeões de 2012 participarem do Freio de Ouro da FICCC na Argentina. Só que desta vez não mobilizamos um, mas sim dois ônibus de torcida, totalizando mais de 40 pessoas.

Os crioulistas dos diferentes países associados da FICCC tiveram a oportunidade de presenciar a melhor performance da carreira de "El Mago" no Parque Rural de Palermo, liderando de ponta a ponta, alcançou a média final de 21,306. Esta foi para realmente marcar seu nome na história dos grandes cavalos da Raça Crioula, tornando-se o único animal, entre machos e fêmeas, a possuir dois Freios internacionais, um de Prata e um de Ouro.

Ao final da prova a alegria tomou conta dos proprietários e amigos do cavalo que lá estavam presentes, com direito à grito de guerra e "invasão" à sede da Associação Argentina do Cavalo Crioulo no Parque de Palermo, montado por um de seus proprietários, Luizantero Pimenta Peixoto.

E para não passar em branco por sua qualidade como bom reprodutor, no início de 2017, com apenas 12 anos recém completados, RZ REVUELTO CRISTAL DA CARAPUÇA entrou para o rol dos animais Registro de Mérito da Associação Brasileira de Cavalos Crioulos (ABCCC). Mesmo que em suas primeiras temporadas de monta com seus novos proprietários tenha coberto poucas éguas, em razão de estar em treinamento, "El Mago" transmite boas características à sua prole, como ótima estrutura óssea, retangularidade, selo racial, bons andares e excelente temperamento.

Luiz Antero de Oliveira Peixoto | Março de 2018



Venha e participe Conosco!
Deixe seu comentário,
Até a próxima.

Já viu os animais que vendemos? Veja Aqui!


Nossos Colunistas

Arturo Montory Gajardo

Nací en Cañete provincia de Arauco-Chile en septiembre de 1946, de familia de agricultores y ganaderos. En 1964 mi tío Hernán Anguita Gajardo, estudioso, criador (criadero Paicavi), y dirigente del rodeo escribe artículos en el Anuario de la Asociación de Criadores de Caballares, y me hace participar de ellos, lo que efectuó hasta el año 1970 en que entrega su último artículo. (Hernán Anguita creo el premio Sello de Raza). Ello me hizo aprender muchísimo de caballos, rodeo, arregladores y jinetes antiguos y ya en el año 1966 en una Agenda o libreta pequeña pude escribir y desarrollar en forma ordenada y clasificada por Familias Caballares toda la raza con los ejemplares más importantes, en rodeo, rienda, reproducción, exposiciones, que habían destacado y con premios hasta esa época. No había aun computación, la que llegó en forma masiva a Chile a principios del 1990. Esa agenda la conservo y es la base de todo lo que he escrito después y han pasado 50 años. Luego fui jinete de rodeo, jurado de premio Sello de Raza y Rodeos por muchos años más. En 1990 ya establecido en Santiago, me invitan a participar como columnista en revista Criollos, en octubre de 1991 participo en nacimiento de revista Corraleros escribiendo y dirigiéndola hasta 2005 y luego fundo la revista Tierra de Caballos, la que llevo a Expointer durante algunos años y junto a ello, incentivar a muchos criadores chilenos a conocer y asistir al Freno de Oro, y se produjo un intercambio muy grande y de muy gratos recuerdos para todos. En 2009 fui panelista representando a Chile de “Encuentro de Criadores”, evento que organizaban los criadores gaúchos Joao B. Sa y de Uruguay Luis Pedro Valdés en restorán de la 6° Regiao en Esteio. Me toco en esa ocasión compartir palestra con el famoso Bayard Sarmento Jaques de Jaguarao-Uruguiana, el criador argentino Ramon Maidagan Torres, y el criador uruguayo Diego Landa Dondo, una experiencia inolvidable. En 1997 publique el libro "Caballos Chilenos, Genealogía de una Raza"; en 2000 inicio la colección "Caballos Chilenos, 500 años de Historia", que fueron 9 tomos; en 2012 publico en Internet, están aún vigentes, 5 tomos de libro "Grandes Caballos del Sur de América", que incluye crianzas de Argentina, Brasil, Chile, Uruguay y Paraguay. Me publicaron artículos en Anuario de Brasil y Uruguay. En 2015 publico Tomo I y en 2016 el Tomo II de libro "Reproductores de Pura Raza Chilena", vigente actual. Tengo al aire la web Tierradecaballos.cl; en Facebook web Libro Reproductores de Pura Raza Chilena. He hecho videos en YouTube a nombre de Caballería Araucana TV; criadero Paicavi TV; y Reproductores de Pura Raza Chilena, que van a TV Cable He sido por 13 años columnista de web de Federación del Rodeo y Criadores, Actelemte participo en programa Pelos & Procedencia de radio Tertulia por invitación de mi estimado amigo Rodrigo Alegrete. En diciembre del 2016 fue lanzado el Tomo I de "Historia del Rodeo Chileno", que escribí, y a principio del 2018 se lanza Tomo II y la Historia de la Federación del Rodeo, soy autor de ambos. Tengo un pequeño criadero de caballos chilenos continuando con algunas yeguas antiguas y el nombre de "Paicavi" cuyos ejemplares forman la base del actual del exitoso criadero Peleco, formado por Emilio Lafontaine P. también primo mío, y que ahora pertenece a Rubén Valdebenito Fuica y sus hijos Gustavo y "Panchaco". .