Histórias de Vida

"Um garoto urbano"...

Data: domingo, 1 de abril de 2018 - Hora: 10:53

Um garoto urbano, criado e nascido em Porto Alegre. Filho de Guido e Hayde, o caçula da família, pois é o único menino entre duas irmãs mais velhas.
Ele é Thales Bandeira da Silveira, uma pessoa muito conhecida quando o assunto e comunicação, no meio que vivemos, o rural.
Porém, quando criança, o campo estava muito longe dele.
Com uma educação muito severa, foi a partir de uma nova moradia em São Paulo, que ele além de conhecer muitas pessoas, conheceu e adquiriu um novo olhar pelas coisas, ou tal vez, pela vida.
Pois aquela cabeça mente, não parava de pensar ante tantas inquietudes.

A juventude do nosso protagonista Thales, foi característica da época. As tardes eram na casa de algum amigo, sempre tendo presente a leitura e a música.
Isto último, algo diferente para época, escutar música era estanho.
“Ficávamos ligados no rádio com o gravador pronto esperando aquela música especial pra poder gravar”, afirma ele.
Porém, gostando de coisas estranhas, ele, também queria ser “um adiantado”, para a sua época, e começou a dar seus primeiros passos no empreendedorismo.
Na mesma época, onde escutar musicas era coisa estranha. As modas, já existiam; a da turma deles era "o abrigo Adidas" (o mais caro), e "o abrigo Atleta" (um para a classe meia- alta), só que para ele, era muito caro.
Mas como tudo nesta vida tem um jeito... ele deu o dele, para poder ter o famoso abrigo.
Foi a través de um presente da sua avó, (um pijama de malha apeluciada), que o encaminhou a ter seu codiciado abrigo Adidas.
Ele achou muito parecida a textura do pijama com a do abrigo Atleta, e então, com a sua mesada, comprou outro pijama, tingiu, e foi pra escola faceiro de pijama tingido.
Não é que seus colegas ficaram alucinados? ¡Eles também queriam!
Só que Thales, muito experto, disse que precisava do 50% do valor, para poder encomendar.
Qual foi o resultado?
Em 15 dias, estava de abrigo Adidas, e varios colegas da turma, de pijama.

A juventude do nosso menino empreendedor, também foi marcada pelo Serviço Militar, foi para ele "um divisor de águas".
Foi onde deixou o menino, para começar a enfrentar a vida com outro olhar.
Fez o CPOR em Porto Alegre na arma Infantaria. La aprendeu as primeiras estratégias, e a importância da união de todas as armas para o sucesso da guerra.

E depois disso... veio a faculdade.
11 aprovações em vestibulares, em diversos cursos.
O que levava ao Thales a fazer cadeiras que ele gostasse, e enseguida trocar.
O positivo? Ampliou seu olhar e suas perspectivas em relação a vida.
Teve diversos empregos, onde alguns a mente dele o obrigou a abandonar. Sua mente, e muito inquieta, o que não o deixa estar parado em um lugar só.

Aos 39 anos, começa então a trajetória no caminho do Agronegócio. Foi desempregado, e cobrindo um bico de final de semana, que surgiu uma empatia inmediata com Marcelo Silva, da Trajano Silva Remates.
Foi a través da confiança, "da mente inquieta", e do próprio empreendedorismo, que desenvolveram o negócio com um olhar mais na frente.
Ele nos conta, que teve a honra de participar de parte da trajetória da reconhecida empresa.

Ali, aprendeu muitas coisas. E conseguir ensinar, algumas outras. Como por exemplo, que as diferenças nos "estilos" das pessoas, são apenas superficiais, e o que o respeito pelos códigos e tradições se pareciam em sua essência.

Mas, a mente inquieta do Thales, novamente se manifesta, desta vez, com o objetivo de materializar um projeto que vinha sendo desenvolvido nas teorias e testes a bastante tempo. Projeto que surge com seu sócio e amigo, é então que nasce a Z5.
Dois anos e meio de muitos aprendizados e um grande sucesso no mercado, até que surge a decisão de fechar ela. Pois o nosso empreendedor, desta vez, queria construir uma pousada em São Francisco de Paula.
Mas... no meio disso, surge a oportunidade de uma empresa líder no segmento do agronegócio, e com projeção nacional, surge uma oportunidade no Canal Rural.
"Integrar o agronegócio gaúcho cada vez mais ao canal rural, servindo como mola propulsora dos negócios, fomentar relacionamento com o mercado", era o seu novo desafio.
O que faz a sua alma inquieta se oxigenar.

Oxigenado, inquieto, empreendedor, mas sobre todas as coisas, com amor pelo que fez, em cada segundo, em cada acerto, e até em cada erro.
"Foi tudo muito tranquilo", afirma Thales.
Ele sempre teve uma família presente que o apoiou e entendeu as suas inquietudes.
Tendo em toda esta trajetória, um grande presente, a sua própria família.
Sua esposa Alessandra, e seus filhos Thiago e Ana Paula, são certezas no meio de inquietudes que possa ter com a vida.

Sim... desta vez, um protagonista diferente. Um protagonista, que como tantos outros nos lembra que o mínimo que devemos fazer nesta vida e lutar pelos nossos sonhos, é nosso dever ir atrás deles.
Seja qual for sua condição, inquieto, sereno, apaixonado, frio, ou qual seja ela que for, vá atrás.

Porque como diz o Thales, "construa pontes, e não muros, e quando for olhar a floresta, olhe ela inteira, não fica parado olhando apenas uma árvore".

Por: Maria Eduarda Sanes



Venha e participe Conosco!
Deixe seu comentário,
Até a próxima.

Já viu os animais que vendemos? Veja Aqui!


Nossos Colunistas

Arturo Montory Gajardo

Nací en Cañete provincia de Arauco-Chile en septiembre de 1946, de familia de agricultores y ganaderos. En 1964 mi tío Hernán Anguita Gajardo, estudioso, criador (criadero Paicavi), y dirigente del rodeo escribe artículos en el Anuario de la Asociación de Criadores de Caballares, y me hace participar de ellos, lo que efectuó hasta el año 1970 en que entrega su último artículo. (Hernán Anguita creo el premio Sello de Raza). Ello me hizo aprender muchísimo de caballos, rodeo, arregladores y jinetes antiguos y ya en el año 1966 en una Agenda o libreta pequeña pude escribir y desarrollar en forma ordenada y clasificada por Familias Caballares toda la raza con los ejemplares más importantes, en rodeo, rienda, reproducción, exposiciones, que habían destacado y con premios hasta esa época. No había aun computación, la que llegó en forma masiva a Chile a principios del 1990. Esa agenda la conservo y es la base de todo lo que he escrito después y han pasado 50 años. Luego fui jinete de rodeo, jurado de premio Sello de Raza y Rodeos por muchos años más. En 1990 ya establecido en Santiago, me invitan a participar como columnista en revista Criollos, en octubre de 1991 participo en nacimiento de revista Corraleros escribiendo y dirigiéndola hasta 2005 y luego fundo la revista Tierra de Caballos, la que llevo a Expointer durante algunos años y junto a ello, incentivar a muchos criadores chilenos a conocer y asistir al Freno de Oro, y se produjo un intercambio muy grande y de muy gratos recuerdos para todos. En 2009 fui panelista representando a Chile de “Encuentro de Criadores”, evento que organizaban los criadores gaúchos Joao B. Sa y de Uruguay Luis Pedro Valdés en restorán de la 6° Regiao en Esteio. Me toco en esa ocasión compartir palestra con el famoso Bayard Sarmento Jaques de Jaguarao-Uruguiana, el criador argentino Ramon Maidagan Torres, y el criador uruguayo Diego Landa Dondo, una experiencia inolvidable. En 1997 publique el libro "Caballos Chilenos, Genealogía de una Raza"; en 2000 inicio la colección "Caballos Chilenos, 500 años de Historia", que fueron 9 tomos; en 2012 publico en Internet, están aún vigentes, 5 tomos de libro "Grandes Caballos del Sur de América", que incluye crianzas de Argentina, Brasil, Chile, Uruguay y Paraguay. Me publicaron artículos en Anuario de Brasil y Uruguay. En 2015 publico Tomo I y en 2016 el Tomo II de libro "Reproductores de Pura Raza Chilena", vigente actual. Tengo al aire la web Tierradecaballos.cl; en Facebook web Libro Reproductores de Pura Raza Chilena. He hecho videos en YouTube a nombre de Caballería Araucana TV; criadero Paicavi TV; y Reproductores de Pura Raza Chilena, que van a TV Cable He sido por 13 años columnista de web de Federación del Rodeo y Criadores, Actelemte participo en programa Pelos & Procedencia de radio Tertulia por invitación de mi estimado amigo Rodrigo Alegrete. En diciembre del 2016 fue lanzado el Tomo I de "Historia del Rodeo Chileno", que escribí, y a principio del 2018 se lanza Tomo II y la Historia de la Federación del Rodeo, soy autor de ambos. Tengo un pequeño criadero de caballos chilenos continuando con algunas yeguas antiguas y el nombre de "Paicavi" cuyos ejemplares forman la base del actual del exitoso criadero Peleco, formado por Emilio Lafontaine P. también primo mío, y que ahora pertenece a Rubén Valdebenito Fuica y sus hijos Gustavo y "Panchaco". .