Redomão na Lagoa 2018

O que é o redomão na lagoa na sua essência?

Data: terça, 16 de janeiro de 2018 - Hora: 22:00

Redomão é FAMÍLIA!

Fomos atrás de quem já viveu a emoção do redomão a flor de pele, fomos atrás delas, das mães, das esposas, daquelas que estão ali, ao firme, acompanhando os filhos, e os esposos.

Confira embaixo os depoimentos de quem já fez parte desta grande festa! E se você tiver o seu, e quiser compartilhar, conte para nós sua experiência.

Quem acompanha faz anos... desde o primeiro. Família Valadão, Dona Cátia, o resume assim:
“Fazem dez anos que participamos do redomao na lagoa! O Nilo foi um dos ginetes pioneiros nesta prova e já na primeira ficou em décimo lugar e para nós, foi como se ficasse em primeiro, tamanha foi a felicidade e a honra em estar no meio dos finalistas! Neste primeiro ano os guris eram pequenos e só gritavam do lado de fora da pista, juntamente comigo!! E os anos passaram e tivemos o privilégio de os três ginetes entrarem naquela pista maravilhosa, a qual nos deu muitos momentos de alegrias, de conquistas, de amizades e de conhecimentos!! Toda vez que chego perto da porteira da fazenda, meu coração dispara e já me "preparo" para viver grandes emoções, para gritar muito e talvez até chorar!! Meu coração bate mais forte quando escuto o narrador falar "autorizado" e após apresentar meus ginetes e seus cavalos! E daí em diante acredito e oro para que eles consigam mostrar seus trabalhos da melhor maneira possível e tentem passar entre os finalistas!! Pulo, grito, bato palmas, corro!!! E agradeço muito a cada ano que conseguimos correr o Redomao e também ao Marcelo Moglia, que aceitou nossos ginetes Nathan e Rian com dez anos de idade, em sua pista e lá estamos até os dias de hoje! E que venha o Redomao 2018!

Já a Priscila Vargas, esposa do domador Gustavo e mãe de três filhos, nos conta que ela e sua família vivem o redomão assim:

“Há alguns anos meu marido participa das provas do Redomão da Lagoa, cabe salientar que ele adora a lida com os cavalos. Ano passado, após inúmeras solicitações dele, resolvi ir com as crianças. Tive o apoio de uma querida amiga, que hoje é minha comadre. Confesso que fiquei surpresa com a estrutura do evento! Foi muito bom estar ao lado do meu marido, permitindo que meus filhos se espelhem no seu exemplo! Este ano retornaremos com a família um pouco maior.”

A Anna, esposa do Alexandre, e mãe de três filhos que fazem questão de participar da turma animada da criançada, resume o redomão assim:

“O Redomão na Lagoa sempre foi, para mim, um conjunto de bons momentos, pois nesses momentos estão os amigos, a família, as brincadeiras, os cavalos, até mesmo a culinária. Mas o que mais faz o Redomão ser tão desfrutado é a energia contagiante das pessoas, que estão para partilhar sentimentos bons e de valorização do ser humano, algo cada vez mais raro em nossa sociedade. A alegria e a felicidade que nos faz lembrar o Redomão na Lagoa.”

A Michelle Suñé, mãe de 4 crianças, faz questão de ano a ano estar presente ela com sua turma, veja o que ela já viveu por lá:
“Uma festa ímpar! Nesses anos de Redomão só não estivemos presentes um ano! Demais todos lá!
As crianças adoram! A programação é intensa, a alegria e a disposição de todos por lá também! Sempre somos muito bem recebidos, com muito carinho!
A gurizada quando chega perto das férias já começam a organização para a Lagoa! Cavalos, barraca, acampamento! Confesso que uma função, hahahaha, mas muito bom tudo isso!
As crianças falam muito na cavalgada, também pudera, é feita pra eles! O Marcelo sabe bem como agradar esses pequenos .
Está chegando o dia e por aqui já tudo organizado, rumo a Lagoa!
Vamos ver cavalos, torcer, cavalgar, conversar, brincar, comer, enfim, vamos nos divertir!
Muito obrigada família Redomão da Lagoa! A nossa família agradece muito esses dias ímpares aí com vocês!
E VOCÊ? Já participou do Redomão na Lagoa?

Venha fazer parte desta grande festa, 18 a 21 de janeiro, na Estância da Lagoa.

Por: Maria Eduarda Sanes



Nossos Colunistas

Arturo Montory Gajardo

Nací en Cañete provincia de Arauco-Chile en septiembre de 1946, de familia de agricultores y ganaderos. En 1964 mi tío Hernán Anguita Gajardo, estudioso, criador (criadero Paicavi), y dirigente del rodeo escribe artículos en el Anuario de la Asociación de Criadores de Caballares, y me hace participar de ellos, lo que efectuó hasta el año 1970 en que entrega su último artículo. (Hernán Anguita creo el premio Sello de Raza). Ello me hizo aprender muchísimo de caballos, rodeo, arregladores y jinetes antiguos y ya en el año 1966 en una Agenda o libreta pequeña pude escribir y desarrollar en forma ordenada y clasificada por Familias Caballares toda la raza con los ejemplares más importantes, en rodeo, rienda, reproducción, exposiciones, que habían destacado y con premios hasta esa época. No había aun computación, la que llegó en forma masiva a Chile a principios del 1990. Esa agenda la conservo y es la base de todo lo que he escrito después y han pasado 50 años. Luego fui jinete de rodeo, jurado de premio Sello de Raza y Rodeos por muchos años más. En 1990 ya establecido en Santiago, me invitan a participar como columnista en revista Criollos, en octubre de 1991 participo en nacimiento de revista Corraleros escribiendo y dirigiéndola hasta 2005 y luego fundo la revista Tierra de Caballos, la que llevo a Expointer durante algunos años y junto a ello, incentivar a muchos criadores chilenos a conocer y asistir al Freno de Oro, y se produjo un intercambio muy grande y de muy gratos recuerdos para todos. En 2009 fui panelista representando a Chile de “Encuentro de Criadores”, evento que organizaban los criadores gaúchos Joao B. Sa y de Uruguay Luis Pedro Valdés en restorán de la 6° Regiao en Esteio. Me toco en esa ocasión compartir palestra con el famoso Bayard Sarmento Jaques de Jaguarao-Uruguiana, el criador argentino Ramon Maidagan Torres, y el criador uruguayo Diego Landa Dondo, una experiencia inolvidable. En 1997 publique el libro "Caballos Chilenos, Genealogía de una Raza"; en 2000 inicio la colección "Caballos Chilenos, 500 años de Historia", que fueron 9 tomos; en 2012 publico en Internet, están aún vigentes, 5 tomos de libro "Grandes Caballos del Sur de América", que incluye crianzas de Argentina, Brasil, Chile, Uruguay y Paraguay. Me publicaron artículos en Anuario de Brasil y Uruguay. En 2015 publico Tomo I y en 2016 el Tomo II de libro "Reproductores de Pura Raza Chilena", vigente actual. Tengo al aire la web Tierradecaballos.cl; en Facebook web Libro Reproductores de Pura Raza Chilena. He hecho videos en YouTube a nombre de Caballería Araucana TV; criadero Paicavi TV; y Reproductores de Pura Raza Chilena, que van a TV Cable He sido por 13 años columnista de web de Federación del Rodeo y Criadores, Actelemte participo en programa Pelos & Procedencia de radio Tertulia por invitación de mi estimado amigo Rodrigo Alegrete. En diciembre del 2016 fue lanzado el Tomo I de "Historia del Rodeo Chileno", que escribí, y a principio del 2018 se lanza Tomo II y la Historia de la Federación del Rodeo, soy autor de ambos. Tengo un pequeño criadero de caballos chilenos continuando con algunas yeguas antiguas y el nombre de "Paicavi" cuyos ejemplares forman la base del actual del exitoso criadero Peleco, formado por Emilio Lafontaine P. también primo mío, y que ahora pertenece a Rubén Valdebenito Fuica y sus hijos Gustavo y "Panchaco". .