Redomão na Lagoa 2018

O Redomão na Lagoa a través dos olhos do ganhador...

Data: quinta, 25 de janeiro de 2018 - Hora: 18:55

Sim, nós temos tido diferentes olhares sobre o redomão. Mas ninguém se perguntou o que passou na cabeça de quem ganhou a grande festa? Ninguém se perguntou o que foi chorar de emoção e olhar pro céu e agradecer?

Nós sim nos perguntamos! E queríamos, que você aí de casa soubesse como foi. Por isto, fomos falar com quem recebeu todos os aplausos, Tomaz Gonçalves.

No inicio da conversa, ele falou: "Foi um trabalho de zero, os 3 animais que chegaram em casa nem cabresteabam direito, nós tivemos que tirar todos os "medos" que eles tinham sobre nós, os seres humanos como primeira medida"

Tomaz nos conta que na primeira semana a unica preocupação era que eles ficassem mansos, ja que eles iam precisar da aptitude física máxima "lá na frente". Na segunda semana foi que começou a parte de cima, só na segunda semana foram montados, e a prioridade nessa semana foi o condicionamento físico, e não os movimentos como para uma prova. Ele diz que é primordial lembrar que eles estavam a campo, muitas vezes até com um pouco de excesso de peso, nas suas condições naturais, e que nos estamos tirando o animal delas. "Respeitar isso, antes do que nada."


"Se vocês me perguntarem qual é o "X", destes 40 dias, é com certeza lograr o equilíbrio do físico com o mental". Também assegura, que isso é com certeza é muito difícil. "Muitas vezes nós pelas ânsias de querer ter ele com o físico tinindo, nos esquecemos da parte mental, e o cavalo termina achando que está fazendo as coisas erradas."
"Tento sempre preparar os animais para a pressão da prova, e não bota-los na pressão enquanto o momento não chega."

Para este Redomão nós pegamos 3 bichos, e os 3 eram mega diferentes. Então isso implica que nos interpretemos o que os animais querem nós dizer em cada passo da doma, nunca compara-los, porque cada animal é um animal. "Não adianta chegar com uma receita de bolo e aplicar para todos igual, isso com certeza não vai funcionar."

Tempo passou, e as domas foram chegando ao fim, o redomão estava chegando.

Vocês acreditam nas surpresas? O Tomaz, a partir deste redomão teve que começar a acreditar!
Ele nos confessa que a égua colorada que ganhou, era na que menos confiava. "Uma égua muito complicada no início, para parar, para ebarrar, deu bastante trabalho."

"Então hoje, passado esse trabalho, passados os 40 dias de doma, eu só posso transmitir uma mensagem: ACREDITE!"

Ele diz que os cavalos são como as pessoas, as pessoas tem defeitos, que nem defeitos são, muitas vezes são dificuldades. A maioria deles, combatíveis, só falta o "empurrãozinho". E os cavalos, e a mesma coisa, dando aquele "empurrãozinho", ensinando, demonstrando, o que é uma dificuldade, pode se transformar em uma qualidade, e isso, pode fazer você ganhar uma prova. "Que foi o que me aconteceu!", expressa.

Ele ressume esta vitória em: AGRADECIMENTO!
"Existe uma caminhada muito longa até chegar a vitória, e para que isso aconteça temos que ter uma equipe muito forte, eu tenho a sorte de te-la. Então hoje eu só agradeço."

Emocionante ler tudo isto, né?
Que tal seguirmos o exemplo deste ganhador e aplicá-lo em nossas vidas? ACREDITAR, AGRADECER?
Esse é o caminho, para obter a vitória nesta caminhada que chamamos vida.

Por: Maria Eduarda Sanes
Fotos: Cosas del Campo



Nossos Colunistas

Arturo Montory Gajardo

Nací en Cañete provincia de Arauco-Chile en septiembre de 1946, de familia de agricultores y ganaderos. En 1964 mi tío Hernán Anguita Gajardo, estudioso, criador (criadero Paicavi), y dirigente del rodeo escribe artículos en el Anuario de la Asociación de Criadores de Caballares, y me hace participar de ellos, lo que efectuó hasta el año 1970 en que entrega su último artículo. (Hernán Anguita creo el premio Sello de Raza). Ello me hizo aprender muchísimo de caballos, rodeo, arregladores y jinetes antiguos y ya en el año 1966 en una Agenda o libreta pequeña pude escribir y desarrollar en forma ordenada y clasificada por Familias Caballares toda la raza con los ejemplares más importantes, en rodeo, rienda, reproducción, exposiciones, que habían destacado y con premios hasta esa época. No había aun computación, la que llegó en forma masiva a Chile a principios del 1990. Esa agenda la conservo y es la base de todo lo que he escrito después y han pasado 50 años. Luego fui jinete de rodeo, jurado de premio Sello de Raza y Rodeos por muchos años más. En 1990 ya establecido en Santiago, me invitan a participar como columnista en revista Criollos, en octubre de 1991 participo en nacimiento de revista Corraleros escribiendo y dirigiéndola hasta 2005 y luego fundo la revista Tierra de Caballos, la que llevo a Expointer durante algunos años y junto a ello, incentivar a muchos criadores chilenos a conocer y asistir al Freno de Oro, y se produjo un intercambio muy grande y de muy gratos recuerdos para todos. En 2009 fui panelista representando a Chile de “Encuentro de Criadores”, evento que organizaban los criadores gaúchos Joao B. Sa y de Uruguay Luis Pedro Valdés en restorán de la 6° Regiao en Esteio. Me toco en esa ocasión compartir palestra con el famoso Bayard Sarmento Jaques de Jaguarao-Uruguiana, el criador argentino Ramon Maidagan Torres, y el criador uruguayo Diego Landa Dondo, una experiencia inolvidable. En 1997 publique el libro "Caballos Chilenos, Genealogía de una Raza"; en 2000 inicio la colección "Caballos Chilenos, 500 años de Historia", que fueron 9 tomos; en 2012 publico en Internet, están aún vigentes, 5 tomos de libro "Grandes Caballos del Sur de América", que incluye crianzas de Argentina, Brasil, Chile, Uruguay y Paraguay. Me publicaron artículos en Anuario de Brasil y Uruguay. En 2015 publico Tomo I y en 2016 el Tomo II de libro "Reproductores de Pura Raza Chilena", vigente actual. Tengo al aire la web Tierradecaballos.cl; en Facebook web Libro Reproductores de Pura Raza Chilena. He hecho videos en YouTube a nombre de Caballería Araucana TV; criadero Paicavi TV; y Reproductores de Pura Raza Chilena, que van a TV Cable He sido por 13 años columnista de web de Federación del Rodeo y Criadores, Actelemte participo en programa Pelos & Procedencia de radio Tertulia por invitación de mi estimado amigo Rodrigo Alegrete. En diciembre del 2016 fue lanzado el Tomo I de "Historia del Rodeo Chileno", que escribí, y a principio del 2018 se lanza Tomo II y la Historia de la Federación del Rodeo, soy autor de ambos. Tengo un pequeño criadero de caballos chilenos continuando con algunas yeguas antiguas y el nombre de "Paicavi" cuyos ejemplares forman la base del actual del exitoso criadero Peleco, formado por Emilio Lafontaine P. también primo mío, y que ahora pertenece a Rubén Valdebenito Fuica y sus hijos Gustavo y "Panchaco". .