Histórias de Vida

A vida de um campeão...

Data: domingo, 3 de dezembro de 2017 - Hora: 12:45

Um campeão, Santa Isabel Talento.

Santa Isabel Talento Nº 117335, sorvete de potro, nascido em outubro de 1991. Filho de Taco (Rigor) e Que Luna para Borracho no domingo e Endemoniá por Rigor.
A mãe do Talento, a égua de que Luna, era um muito bom colorado de vacas, corajosas e atajadoras, de boa estrutura e equilíbrio, qualidades que herdavam sua prole, onde você pode encontrar os Campeões do Chile, Batuco e Talento, além de de cavalos muito valiosos como corraleros, de ótimas morfologias e reprodutores como o Tiento, esperado, é tão bom, Fantasioso, Coqueta, entre outros. Seu avô materno, o drunkard no domingo, era um cavalo de baía, de boa rotação, muito adornado com tufos de prata que o tornavam muito impressionante, de grande campanha de corralaria e performances muito boas na área de Osorno e os campeonatos nacionais. Ele sempre se destacou por sua velocidade e agilidade nas bandeiras, ele sempre entrou da frente e deixou o amontoado a toda velocidade, para culminar em um ataque franco e violento. Ele não tinha um romano, ele iria parar o touro que foi colocado na frente dele. Por outro lado, sua avó materna Endemoniá era uma bela egua de baía, filha da famosa Berlina, grande e longa, de grande selo racial. Com um grande temperamento, de acordo com seu arranjador Gustavo "Tavin" Rey, que o descreveu como "andando em um potro". Ele fez seu colar com o Chamanto, demonstrando o seu valor, poder e excelente qualidade de vaqueiro. Como mãe, ela era uma grande reprodução, onde além de Que Luna, ela deu Onofre, La Secretada, Chinita, El Diantre, entre outros.
A história do Talento começa muito antes do nascimento. Seu pai Taco chegou a Ñilque em 1968 por 7 anos e foi um curto período de tempo, Burlesca, Comadre e Baquiano. Em 1984, sob recomendação de Sergio "Checho" Tamayo, trabalhando em Santa Elba naquela época, ele disse a Eduardo Epple que o Taco, já com 25 anos, não estava usando e "talvez eles vendessem" e então o jovem sabendo que o potro já era muito velho e doente, ele corre riscos e concorda com Don Ramón, comprando Taco. Nas condições que eram o garanhão, quase despejados o levaram com poucas ilusões de que o jugo voltou à fazenda em Puyehue, eles também concordaram que, se ele morresse ou não grávidas, qualquer égua que Eduardo escolheria um filho em Santa Elba. O potro veio para o sul e, assim, foi uma semana na manjedoura, mas com grande dedicação e amor recuperado e poderia criar mais de 22 filhos, incluindo o Talento que nasceu quando seu pai tinha 31 anos.
Naqueles anos, o Santa Isabel Criadero estava na busca para abrir as linhas para o famoso e famoso Coro. O administrador do Cattery Santa Isabel na época, Don Benjamín García-Huidobro Conta; "Precisávamos de um cavalo que não tivesse nada para fazer diretamente com Chorus, e foi depois de conversar com Don Agustín, sugeri a Sergio Epple que fizemos uma parceria na qual ele contribuiu com o Taco e com quatro éguas, Esbelta, Aquela Luna, Esmeralda e Escondida, mas que escolhi antecipadamente dois descendentes da égua para a criação. Foi assim que o bezerro esbelto foi escolhido, que nasceu um macho cor de lama e a ninhada de Que Luna, que era um azeda masculina, agora conhecido como Talento. La Escondida pario, a única mulher e a Esmeralda, um potro de sorrel por Sergio Epple, o Tapón, o potro do Slender que era uma pintura fofa foi comido por um puma no campo do sul. Foi assim que perguntei a Sergio Epple que me vendesse a potra de La Escondida, que é La Tacaña.
O talento foi criado ao pé de sua mãe na fazenda El Carmen até a cordilheira de Rancagua e mais tarde desmamou para Graneros para Santa Isabel. Manuel Castro nos diz como cuidar do incubatório, que recebeu o talento por seis meses que o pequeno potro era um diabo, não era fácil de lidar, não gostava muito quando o levaram no início, especialmente quando estavam despalmarlo, e ele usou a mão e uma pequena mordida caiu nas costas Como um jogo, não era fácil entrar nos estábulos para sair, mas pouco a pouco foi entregue e alguns meses depois era completamente manso e dócil.
Eles dizem que novamente não era muito chamativo e até catalogado como "feio", ele passou seus primeiros anos sem problemas, embora ele sempre provasse ser um potro inteligente com personalidade. Foi roubado por Raúl Becerra que teve por 6 meses e conta:
"Talento era um potro muito feio novamente. Ele sempre foi muito manso e dócil, mostrou-se no ataque desde o início, embora tenha sido notável outro tipo de cavalo para o Coro, chamou a atenção desde o início ".
Após a amansa, Don Jesus Rodriguez trabalhou, o que o iniciou nos primeiros passos do arranjo e depois passou nas mãos do grande cavaleiro e arranjador Eduardo "Lalo" Tamayo. Depois de começar seus primeiros passos na disciplina, ele foi para o sul, onde conheceu o cavaleiro da sociedade que fez história, Juan Carlos Loaiza. Ele o recebe batendo e trabalha em sua casa em Metrenco-Temuco. Este grande piloto conta em uma entrevista: "Eu recebi isso aos 4 anos e o potro veio batendo e era um lenço como as novas cabras, osse é um gawky, um pouco longo, mas, como o Papayero, vi algo semelhante. Lembro que a mesma mancha apareceu e continuei trabalhando. No começo, estava um pouco confuso, com seu caráter dominante e, felizmente, não estava errado. Nós dois tivemos a sorte de conhecer, tive paciência, nos entendemos, nunca tivemos problemas e, apesar do seu gênio, nunca tive que recorrer à força para o trabalho, somos amigos do potro ", ele acrescenta:" Ser um cavalo muito fácil tem seu personagem, então é um cavalo que tem que estar muito pronto, estar em cima dele, para que ele esteja bem ". O resto já é história, cavalo de classificação, 3 vezes Campeão do Chile, juntos alcançaram a glória destinada a eles. O cavaleiro foi montado por um grande cavaleiro como Juan Carlos Loaiza, o que é lógico para alcançar um desempenho tão alto, um crack em outro crack, como sempre deve ser, nunca devemos esquecer o referido corralero "sem um cavalo, não há cavaleiro".
Deve-se notar que Talent tocou ao vivo na mesma época dos filhos do Coro da Raça e em sua própria casa, e nessas difíceis circunstâncias competitivas brilharam com sua própria luz e também deram grande prestígio ao pai e à gata.
Talento era um cavalo de cowboy excepcional, sem dúvida um dos "melhores de todos os tempos". Não me lembro de vê-lo recusar-se a parar, soltar-se na quadra, certo, não querer, ou ir ao chão. Pelo contrário, tudo restava, raça, temperamento, desejo, postura, e ao enfrentar muitas vezes foi deixado ao lado, mas controlado, não saltou ou puxou para longe, sempre sentado nas pernas, com um galop longo e medido, boa boca e fechado, muito bem arrumado.
Como era um cavalo grande e longo, seus batidas pareciam lentos, mas nunca deixaram atrás um novilho, pelo contrário, ficaram na pista, nunca deixaram o amontoado.
Uma característica que sempre chamou minha atenção foi o caminho de Talento, "como uma pomba", muito típico da pura raça; Isso está avançando com a cabeça balançando, para outro ritmo de mãos e pernas, o que junto com a elevação dos joelhos é um sinal de extrema pureza racial. Seu antepassado El Quebrado era assim caminhando e também seus filhos diretos.
Foi uma coincidência afortunada que ele nasceu em Santa Isabel e teve tudo a seu favor para realizar este sonho aplaudido por todos, muitos outros cavalos não têm essa oportunidade e estão perdidos. Nobre e honrando seu nome, um verdadeiro "Talento" encantou todos os fãs durante os mais de 10 anos que ele estava em competição, deixando uma lembrança indelével para aqueles que o viram correr.
De acordo com o seu piloto e eterno companheiro Juan Carlos Loaiza "Na última temporada (2007), este potro atingiu uma maturidade excepcional, ao ponto que me deu toda a segurança, não há problema. Eu entrei na cabana com a segurança que eu iria enfrentar, seja duas ou três, eu não sei, mas eu sabia que isso não iria falhar em mim. Ele é sincero. Além disso, isso é longevo, é um potro que mostrou que leva seus anos e isso, assim como ainda é uma corda por um tempo porque é absolutamente saudável, com todos os desejos. É um potro! " Escusado será dizer que essa qualidade foi demonstrada até a última rodada que correu em sua vida. O talento foi removido das canetas mãos e pernas completamente saudáveis, outro grande valor da raça e nunca decaído, realmente ótimo.
 Sua campanha nos currais:
- Seu primeiro rodeio ganhou em Rio Bueno em 1996, acollerado com o juiz Raudal, filho de Ratero em Domingo na Esperança (Coro e Cachita) montado por Juan Carlos Loayza e Alberto Yáñez.
- Em 1997, em coleira com Escándalo, um filho de Estribillo em Ociosa por Ñipan e Clementina, montado por Juan Carlos Loaiza e Ricardo de la Fuente, obteve o 4º animal em Valdivia; 3º campeão em Paillaco; 3º campeão da Mariquina; 2º campeão em Melipeuco.
- Em 1998, o 4º animal foi inserido no Futrono; 1º campeão em Temuco; 2º campeão em Pitrufquen; Ele foi um Finalista no Qualificador Osorno.
- Em 1999 entrei no 4º animal no Rio Bueno; No qualificador de Osorno entrou no 4º animal.
- No ano 2000, entrou no 4º animal em Los Lagos; Foi o terceiro campeão em Futrono; Campeão do Chile em colar com Scorpion, filho de Chorus in List by Ingrate and Trickster de Tranquero, com 40 pontos, montado por Juan Carlos Loaiza e Eduardo Tamayo.
- Em 2001 ganhou o primeiro campeão Futrono com 36 pontos; executou o Final no Bio Bio Qualifier.
- Em 2002 entrou no 4º animal em Futrono; Campeão do Chile em coleira com Almond, filha de Scorpion em Ricachona por Quillacon III, com 36 pontos, montado por Juan Carlos Loaiza e Eduardo Tamayo.
- Em 2003, ele ficou em 3ª série de reprodução mista na Classificação de Valdivia. No National venceu a série Mixed-hatchery com 39 pontos. Ele entrou no 4º animal na Série dos Campeões.
- Em 2004 ele ganhou o 1º campeão em Rengo; 2º campeão em Futrono; 2º campeão em Osorno; 3º campeão em Rengo; 1º campeão em La Union. Na Classificação de Los Angeles, ganho a 1ª Série Livre A; entrou no 4º animal na Série dos Campeões; na série National won Mixed-hatchery com 39 pontos.
- Em 2005 entrou no 4º animal em La Unión; 1º campeão em Paillaco; 1º Campeão Zonal de Vilcun; 3º campeão Futrono. Na Bio Bio Classification obteve o 3º lugar na série Mixed-Breeding.
- Em 2006 foi terceiro campeão em Futrono; entrou no 4º animal em Paillaco; 3º campeão em Lanco; Na Classificação de Concepção ganhou a série de Colts, e foi Campeão do mesmo qualificador.
- Em 2007 ganhou o 1º campeão em Los Lagos; 1º campeão em Futrono; 3º campeão em Valdivia. Em Clasificatorio de Osorno foi 2º na série Mixta-criaderos. No Nacional foi 1º em séries de reprodução mista com 35 pontos. Campeão do Chile em colera com Fiestera, filha de Escorpión em Cachita por Ñipan e Naranjerita, com 38 pontos, montado por Juan Carlos Loaiza e Eduardo Tamayo.
- Em 2008, ele entrou no 4º animal na Série do Campeonato Nacional.
- Em 2009, eleito 3º na 1ª B livre B no Qualificador de Cautín; entrou no 4º animal na Série dos Campeões. No Campeonato Nacional, obteve 1º lugar na série 2ª. Livre para com 33 pontos.
- No Campeonato Nacional de 2010, ele foi demitido dos croissants em um belo ato feito antes da Série dos Campeões com todas as honras e no meio de uma multidão total de pessoas que o aplaudiram muito animado, agradeceram por todo o show que o potro sempre entregou nas trilhas. Ele foi demitido como verdadeiro campeão.
O Talento, lenda dos croissants, morreu em Santa Isabel em 25 de fevereiro de 2014.

Ranking:
Foi 1º em 1999-1º em 2000-8º em 2001-1º em 2002-4º em 2003-10º em 2004-8º em 2005-1º em 2007-6º em 2008-5º em 2009 do ranking de potros.

Fotos: arquivos



Venha e participe Conosco!
Deixe seu comentário,
Até a próxima.

Já viu os animais que vendemos? Veja Aqui!