#vidadocampo

Notícias

Notícias do Campo

Primavera começa neste sábado, com possibilidade de novo El Niño
Saiba a previsão do tempo nas regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil nos próximos três meses A primavera no Hemisfério Sul começa hoje, às 22h54, e termina no dia 21 de dezembro, às 20h22, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), as características meteorológicas da estação começaram a ser observadas alguns dias antes, com chuvas mais intensas e frequentes nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, marcando o período de transição entre a estação seca e a estação chuvosa. Tanto o Cptec quanto o Inmet registram a possibilidade da chegada, ao fim da estação, do El Niño, fenômeno atmosférico caracterizado por um aquecimento anormal das águas superficiais no Oceano Pacífico. O El Niño pode afetar o clima regional e global, mudando os padrões de vento e afetando os regimes de chuva em regiões tropicais e latitudes médias. "Os modelos analisados mostram aumento de temperatura da superfície do mar sobre o Pacífico Equatorial para o trimestre outubro, novembro e dezembro de 2018, indicando a previsão de ocorrência do fenômeno El Niño, embora ainda não seja possível estimar a intensidade desse episódio", explica a nota técnica do Cpetc. A informação também consta do Prognóstico Climático da Primavera divulgado pelo Inmet. "A maioria dos modelos dinâmicos e estatísticos, gerados pelos principais centros internacionais de meteorologia, indicam uma probabilidade superior a 60% que se desenvolva um novo episódio de El Niño, durante o fim da primavera de 2018 e início do verão de 2019", diz a nota. Fonte: Veja adaptado por Cosas del Campo

Primavera comea neste sbado, com possibilidade de novo El Nio

Colunistas

Artigos sobre o Agro Negócio

A Raça Crioula que e história
Segundo ensina o materialismo dialético, a vida é constituída de saltos e, de quando em quando, como elo indispensável ao processo de desenvolvimento, saltos de qualidade. Um olhar retrospectivo lançado à raça crioula mostrará que a história do cavalo crioulo é realmente composta de saltos de qualidade. Penso que três saltos de qualidade conduziram a raça ao patamar de aclamação que se encontra. O primeiro coincide com a criação da ABCCC. Aquela ideia de reunir os criadores em agremiação é que permitiu a sistematização dos registros, seleção dos indivíduos por standard e formatação da raça. Nada se teria sem essa atitude transformadora. A introdução e uso continuado de LA INVERNADA HORNERO proporcionou o segundo salto de qualidade. Como reprodutor, HORNERO promoveu no padrão racial a passagem de um estado qualitativo para outro estado qualitativo muito superior. Assim, a dívida da raça crioula com HORNERO é, do ponto de vista histórico, impagável. Por fim, cito o processo de criação e consolidação do FREIO DE OURO como ferramenta de seleção. Na forma concebida, o FREIO DE OURO coloca a raça como protagonista da maior modalidade de corrida de cavalos no mundo. È um cartão de recomendação que nenhuma outra raça possui igual e que definitivamente torna o cavalo crioulo diferente. È certo ainda há espaço para outros saltos e que isto acontecerá quando a unidade for construída em torno da raça. Os homens do cavalo crioulo mundo afora precisarão superar as divergências institucionais (internas e externas) e deixar de lado atitude blasé de tudo pronto. O debate a favor da unidade tem o meu apoio. E os amigos, a propósito dos temas aqui deduzidos, creem em novo ciclo na raça e na perspectiva da unidade e convergência ou tocamos o limite? La Invernada Hornero. (Foto: Divulgação)

A Raa Crioula que e histria

Histórias de Vida

A Vida no campo como ela é.

Rafinha, estrela que foi galopear no céu
É... a vida tem dessas coisas. Tem dessas coisas que em um fechar de olhos você pode perder o que mais quer neste mundo. Tem dessas coisas que te lembra que não podemos deixar abraços para depois, que não podemos deixar para dizer amanhã o quanto queremos a quem está do nosso lado, tem dessas coisas que nos lembra, que aproveitar, sonhar, tem que ser para hoje mesmo. VIVER, tem que ser para hoje mesmo, VIVER com intensidade, sem pensar no amanhã. Mas vocês podem dizer que isso é muito fácil de dizer de boca para fora, que em todos os livros de autoajuda está, mas que na realidade é muito difícil de aplicar. Sim, até pode ser... Mas não pode ser, quando você tem um herói por perto, um guerreiro da vida, que foi/é exemplo de que isso não pode ser só da boca para fora, que aplicava isso, todos os dias. Ele sonhava forte, sonhava alto, sonhava com vontade, sonhava com um sorriso estampado no rosto... Ele era o Rafinha, que sonhava com que já já ia estar tudo bem. Que "Já já" estaria campereando, que já já estaria planejando inúmeras novas gerações que nelas vinham seus maiores sonhos, acompanhados de esbarros, voltas sobre as patas, pechadas e andaduras... Que já já, Esteio e o Freio de Ouro, ficariam pequenos para tanta vontade de ir atrás dos sonhos, que nem todo o potencial da Patagônia acompanharia. Mas esse "já já", decidiu que aqui na terra era tudo muito pequeno pra tanta vontade. Decidiu que seu lugar era lá em cima, que os sonhos iam se cumprir do lado do homem veio. E lá foi ele, foi a todo galope e chegou esbarrando, chegou demonstrando para que tinha ido. Hoje está nos guiando na estrela mais brilhante de todas, está de olho para nós não descuidar de nada, porque está de olho em todos nós. Pediu para que torçamos por ele, porque já já vai começar o ciclo, e seus cavalos estão muito bem treinados. Pediu pra que a Gi e o Marcelo cuidem bem das éguas dele aqui, que não quer nenhum erro... Mas sobre todas as coisas, pediu para que não choremos, que sigamos sorrindo que nem ele... que ele não se foi, que ele está ali, bem bem pertinho, correndo vacas atrás dos seus sonhos. Texto:Maria Eduarda Sanes Fotos: Arquivo

Rafinha, estrela que foi galopear no cu

Atravessando Fronteiras

Colunas Internacionais

Nunca pensei ver alguma coisa assim
Me lembro ter ido a Palermo, na exposição de Outono desde muito pequeno. Acompanhando ao meu pai, quem habitualmente competía nos rodeios. No final da década dos 80 e principio dos 90. A final da prova F.Z. Ballester guardava um espetáculo que sempre prometia ser um show. Assim foi uma final na que me encontrava na "verde" como se diz a tribuna de Palermo. Um grande amigo como é Pedro Muñoz (h), conhecido como "Pedrín", fez pódio saído Campeão e Subcampeão. O garanhão com o que foi Subcampeão até aquele dia, não o tinha visto se mexer. Tinha uma dor em seus membros. Inferiores, coisa que lhe restou possibilidades… mas jamais tinha presenciado um cavalo com a docilidade na sua boca e capacidade ou habilidade para em uma esbarrada deslizar suas patas por mais de dez metros. Foi tal o impacto que nos gerou que me lembro de estar com um amigo e ter baixado uma vez terminada a prova para que ver as marcas que tinha deixado. Uma vez acontecido isto ao passo dos anos comecei a ver éguas na sua maioria que presentavam as mesmas características. Não era casualidad e, todas filhas de Curitoro Facón. Hoje mais de 20 anos tem passado e se constituiu como um dos chefes de raça. Proveem de uma família de cavalos de muito boa boca e com o instinto de deslizar chamativa mente suas patas em qualquer esbarrada. Conta com três filhas tricampeãs, feito que o faz único, ao saber Cimbronazo Esta Sí, que também foi campeã de rienda em Chile. Que também fose Freio de Ouro. Toda uma lenda… Tinajera Petronila e Tinajera Agua Clara conforman o trio de Tricampeãs de Felipe Z. Ballester. Tem um grande filho de Facón que é Tinajera Miralejos, Campeão de rienda FICCC, cavalo sensação em Argentina. Outro destacado filho foi Chamaico Privinciano, garanhão que largasse no lugar 36 de morfologia na final do Freio em Esteio e chegasse como Freio de Alpaca. Tinajera Parejito sub-campão do corral de aparte, Tinajera Buen Abrigo, Campeão de Corral de aparte e exportado ao Brasil. Pai do garanhão de preço recorde Equador de Santa Edwiges. Tinajera Campo Lindo foi bicampeão de aparte, Aguaitando foi tricampeão. Outros filhos que se convertiam em grandes reprodutores da raça em Argentina e Brasil foram, Tinajera Chambergo, Tinajera Leonero, Tinajera Chaja, e Tinajera Dos Caldenes. Deixou grandes reprodutores como Tinajera Yaguarón, e a um grande reprodutor na atualidade como Tatuti Mozito. Quem fosse Freio de Ouro em Argentina, ademais de produzir dois Freio de Ouro e um Freio de Prata. A família de Curitoro Facón está marcada pelos êxitos, seu pai Los Tilos Sembrador é filho de Los Tilos Cachupín, lembrando, Multi Campeão de rienda em Chile, desde os anos 1970 ao 1973 inclusive, com umas condições extraordinárias. Ademais cumpriu grandes campanhas desde 1970 ao 1977 no quadro de honra de potros em Chile. Ademais se exportou outro grande filho de Cachupín, Las Hortensias Rigolemu, de grande produção. Como disse Don Victor Esevich, ninguém pensou que Curitoro Facón, seria essa pedra fundamental que é a o dia de hoje. Fotos: Arquivo (Cristian Rey) 1 Tinajero Mira Lejos 2 Tinajera Sombra e Toro 3 Los tilos Sembrador 4 Curitoro Facón 5 Equador de Santa Edwiges 6 Curitoro Facón

Nunca pensei ver alguma coisa assim

Bem estar Animal

A vida do campo

O momento do desmame é uma ferramenta fundamental nos sistemas de criação
"O período de desmame é muito importante nos sistemas de criação, pois afeta tanto o peso da produção dos bezerros quanto a produtividade futura das barrigas", disse Patricia Menchón, professora da Faculdade de Ciências Agrárias e responsável pela Reserva 6 da região. INTA Balcarce. Ele também explicou que o estado nutricional do rebanho, a disponibilidade e a qualidade dos recursos forrageiros devem ser levados em consideração. O profissional ressaltou que quando o estado corporal das mães do rodeio é regular, independentemente do estado do recurso forrageiro, é sempre aconselhável avançar o desmame para reduzir a exigência de lactação. Isso permitirá que a vaca recupere a condição corporal e possa enfrentar o novo ciclo produtivo. "Se necessário, não devemos hesitar em modificar a data de desmame" enfatizou a técnica, e continuou, "um criador deve ficar claro que a condição corporal das barrigas é essencial para atingir o objetivo de máximo que é ter um bezerro por vaca por ano ". Segundo Menchón, quando o estado nutricional do rebanho é bom, o estado dos recursos forrageiros orienta a gestão. "Se você tem capim de baixa qualidade, mas em abundância, não é recomendável avançar a data de desmame já que o bezerro não consegue fazer uso eficiente desse recurso, mas sim da mãe que vai fornecer um pouco de leite", afirmou o profissional. O professor faz referência que outro cenário possível é ter pouca disponibilidade de grama e de baixa qualidade. Neste caso, é aconselhável avançar a data de desmame para liberar os bezerros do sistema e, desta forma, redirecionar o recurso para as barrigas que enfrentarão o novo ciclo produtivo. Por outro lado, se você tem pouco grama, e de boa qualidade, deve ser antecipada desmama o bezerro oferecendo esta erva que pode aproveitar, e iniciar um processo de criação se o produtor decide tomar essa opção. "É importante que o produtor lembre que, a gestão do período de lactação é uma ferramenta que está ao alcance para atingir altas produtividades nos sistemas", enfatiza Menchón. Fonte: Foro Rural, Ing. Agr. Patricia Menchón, profesional de la UIB (INTA-FCA)

O momento do desmame  uma ferramenta fundamental nos sistemas de criao