#vidadocampo

Notícias

Notícias do Campo

Em 2017, Valor Bruto da Produção é recorde com R$ 540,3 bilhões
PRODUTIVIDADE AGRÍCOLA O ano de 2017 se encerra com um Valor Bruto da Produção (VBP) de R$ 540,3 bilhões, 1,3 % em valores reais acima do obtido em 2016, que foi de R$ 533,1 bilhões. É o maior valor registrado desde 1989, quando se iniciou a série de análise de dados. As lavouras tiveram crescimento de 4,2 %, e a pecuária, redução de 4,1%. O resultado favorável de 2017 deve-se principalmente à grande safra de grãos: 240,6 milhões de toneladas, segundo dados do IBGE, e 237,7 milhões, segundo a Conab. A produtividade agrícola, e não o incremento de área, foi o principal fator responsável pelo bom resultado. Os preços agrícolas, em geral mais baixos do que em 2016, tiveram pouca ou nenhuma importância na formação do VBP 2017. “Além da importância da safra agrícola na geração de renda, destaca-se o papel que teve a agricultura no baixo índice de inflação obtido em 2017”, disse José Garcia Gasques, coordenador-geral de Estudos e Análises da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). “O IPCA-15, acumulado até dezembro foi de 2,94 %, o menor valor desde o início da série pulicada pelo IBGE a partir de 2000, já que os produtos agrícolas têm grande peso na formação do índice de preços”. O crescimento do VBP em 2017 foi impulsionado pelo algodão, cana-de-açúcar, laranja, mandioca, milho e soja. Com exceção de laranja, esses outros produtos alcançaram em 2017 o maior faturamento bruto desde 1994. Uma lista extensa de produtos experimentou forte redução de valor, com destaque para banana (-26,7 %); batata (46,3 %); cacau (-27,2 %); café (-14,7 %); cebola (-49,4 %); feijão (-26,7 %); trigo (- 47,9 %) e maçã (-21,5 %). Essa redução, devida principalmente aos preços, foi o que propiciou o impacto positivo da redução do preço dos alimentos sobre o IPCA-15. Sete estados lideraram o VBP em 2017: São Paulo, Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Bahia e Pará. Entre as regiões, o Sul ainda está na frente, seguida pelo Centro-Oeste, Sudeste, Nordeste e Norte. Prognósticos para a Safra 2017/2018 As projeções do IBGE e da Conab para 2017 e 2018 indicam uma safra de grãos de 224,3 milhões de toneladas e de 227,9 milhões, respectivamente. Garcia Gasques esclareceu que “nem todas as Unidades da Federação pesquisadas forneceram dados, e ainda se considerando informações incompletas sobre o clima, acredita-se que os números possam ser mais elevados.” imprensa@agricultura.gov.br

Em 2017, Valor Bruto da Produo  recorde com R$ 540,3 bilhes

Criadores

A paixão por criar

Cabanha El Barquero, os crioulos da função
De grandes reuniões, grandes amizades. De grandes amizades, se compartilham os gostos e as paixões. Foi assim, que na casa de Rene Barbachan era um dia de assado, vinho e altas conversas. No meio desse grupo... um médico, que prestava atenção a grandes discussões. "Esse cavalo para mim é muito alto, e frouxo de garupa", "Ah mas tem bom pescoço!", "Tem sangue das "buenas", "feio de aprumos", "bons movimentos" ... Essas eram as frases que se escutavam ali. O doutor quieto, mais atento. Foi o convívio com tantas pessoas vinculadas, que o Dr. Ricardo Gallicchio Kroef começa a se interessar por bichos de quatro patas, com topete, e que falavam entre relinchos. Além disso, Casio Selamein fazia questão de que isso acontecesse, e assim foi que o médico deixou aos poucos de frequentar tantos hospitais para dar um "pulo" nas pistas para ver o que faziam esses bichos. Ah!, a primeira impressão não foi a que todos esperavam. Não é que o mais novo frequentador de provas da raça crioula quase dorme quando foi numa exposição morfológica? Sim! assim mesmo. Mas... ainda assim, para a surpresa de todos o Dr., compra seu primeiro animal: uma colorada MANGALARGA. "Quase apanhei", fala Ricardo ao conversar com Cosas del Campo. Para não apanhar, e entrar na "jogada" dos cavalos. Compra agora sim, a primeira égua crioula: uma tobiana negra, o que não deixava muito contente aos amigos criadores. E por falar neles que agora tinham um novo convite para o amigo: Ir no famoso "Freio de Ouro". E assim foi, num mês de agosto, na arquibancada da pista de Esteio, o Ricardo, o "Tita" estava vibrando como nunca, estava maravilhado, encantado com aqueles cavalos em movimento. Foi depois disso, que não se falava mais, não tinha volta atrás. Ele queria criar cavalos que emocionassem gente quando estavam em movimento. Para isso, ele buscou assessoramento, e assim decide o destino: linhagens funcionais da cabanha, porque agora, ia ser uma cabanha. "Cabanha El Barquero", inspirada em outro hobbie que o Dr., tem: ir de pesca para a Patagônia na Argentina. No começo, foi atrás das éguas de manada que trouxessem essas famosas "linhagens funcionais". E assim chegou "Capanegra Iguaria", primeira égua comprada com esse pensamento, com um potranco ao pé do Capanegra Jacarta, e prenha do mesmo cavalo. O que ninguém sabia, nem se imaginava, e que nessa barriga vinha um bichinho comum como qualquer outro, mais que queria fazer acontecer se movendo. Nesta barriga vinha então: "El Barquero 04 Patagônia". Uma égua, que hoje dispensa comentários, pois deixou de ser a égua do Dr. Tita, para ser a égua "de todos". Mais até chegar ao "por quê" dessa expressão, tem muito para contar. A Patagônia, já tinha o destino traçado, ela iria ser domada, e seguiria direto para começar a treinar "que nem aqueles cavalos que o Tita tinha visto em Esteio". Domada por Zezeco Macedo, ela começa a demonstrar o que era. Começa a demostrar pro Tita, que ela era diferente, que tal vez, superasse as expectativas dele. O tempo passou, e chegou a hora de sair de casa. Mas... como sempre tem que acontecer alguma coisa "bem na hora", o Raul Lima, treinador da égua teve que fazer uma cirurgia faltando dez dias para a prova. Saindo tudo bem na intervenção, o problema agora era outro: Quem iria montar a Patagônia? O Dr., preocupado com isso foi até o hospital visitá-lo e conversar ao respeito, chegando lá, pergunta: -"Que tal Fabricio Barbosa?" -"Excelente!, só falta uma égua que nem a Patagônia para ele brilhar." E assim chegou o grande dia. Um domingo frio, mas com o sol brilhando, a TV pela casa do treinador já estava acessa, o coração do Tita, também. A Patagônia só fez o que já estava esperado: emocionar a todos. Uma égua com 6,4 de morfologia, nesse domingo, ganhava a classificatória de Bagé e obtendo a maior média funcional do ano, fazendo uma prova emocionante. Aí foi então, que o Tita obteve a melhor recompensa: além daquela vitória, ele conseguiu outra: fazer emocionar gente. Conversando com nossa equipe, ele nos fala dos novos criadores que nem ele, e ele só dá um par de conselhos... "Sangue comprovada funcionalmente; domadores bons, pois acredita que a doma é uma coisa fundamental em um cavalo, e ginetes que priorizem seu animal", além de dar o principal conselho de todos: "nunca deixem de domar um animal que traga consigo boa sangue funcional por critérios morfológicos". Voltando a cabanha, e fechando esta emocionante história, perguntamos sobre o futuro... "El Barquero" seguirá em busca de cavalos funcionais. Por que? Porque nada substitui ou é maior do que um abraço desconhecido e sincero te dizendo: Obrigado, "seu Tita", pela emoção que senti ao ver seu "bicho" andar..." Texto: María Eduarda Sanes

Cabanha El Barquero, os crioulos da funo

Histórias de Vida

A Vida no campo como ela é.

Um trabalho diferenciado, de geração em geração.
Um trabalho diferenciado, de geração em geração. Santa Thereza Agricultura e Pecuária, na localidade de Dom Pedrito, traz consigo um trabalho que não é de poucos anos. Especificamente, tudo começou lá pelo ano 1850, mantendo até hoje as suas atividades, sendo atualmente a quinta geração que passa por este dedicado trabalho familiar. Empresa rural, que tem como “carro chefe” lavouras de arroz, seguindo de plantação de soja, e claro, a pecuária. Pecuária que é abocada nos bovinos a raça Aberdeen Angus, ovinos Corriedale, e nos equinos, os tradicionais e diferenciados cavalos crioulos. No estabelecimento todos os animais, ou a maioria deles, são registrados; no caso dos bovinos também são rastreados a quase 10 anos, sendo também das cabanhas pioneiras em fazer implantação IATF, quer dizer, inseminação a tempo fixo. Tendo como prioridade ter um cuidado extremo na genética, para ter a certeza do progresso em questão de qualidade para poder oferecer produtos diferenciados ao mercado. Por falarmos em oferecer produtos diferenciados ao mercado, neste ano de 2017, a Santa Thereza realizará seu 16° remate anual, com uma oferta extremamente especial. Em pista estará se rematando um trabalho que envolve mais de 500 matrizes que são trabalhadas com um programa de melhoramento genético, o oficial da raça Angus. Todos os animais são trabalhados para conseguirem importantes logros na pecuária, para assim depois encaixarem em qualquer sistema de produção. Tudo isto, faz com que a cabanha tenha um êxito importante, o que é motivo de muito orgulho para todos os envolvidos neste trabalho. Motivo também de agradecimento, como para ofertar cada ano uma oferta melhor, premiando assim clientes e novos apostadores, levando o melhor para as suas casas. Neste ano de 2017, na Rural de Dom Pedrito, no dia 27 de outubro, esta genética estará em pista para quem quiser prestigiá-la ou obtê-la. Irão a venda 35 touros Aberdeen Red Angus, pretos e vermelhos. Todos eles avaliados geneticamente e 60 % desta oferta é dupla tatuagem, o que significa que é uma genética muito consistente e avançada. Touros novilheiros, prontos e preparados para serem colocados nas vacas. Ao mesmo tempo, 20 ventres estarão em pista, todos registrados, com prenhez de touros melhoradores. O que é uma excelente oportunidade para quem está pensando em iniciar uma criação de Angus. O remate estará a cargo do leiloeiro Fábio Crespo, prometendo aos convidados excelentes ofertas para fazerem boas compras, e aos proprietários excelentes vendas. Um trabalho, como já falamos bem diferenciado e que traz consigo, uma história de muitos e muitos anos, daquelas que já quase não existem. Cosas del Campo, como sempre pensando em você, traz para vocês, as informações do Agronegócio. Texto:Maria Eduarda Sanes Fotos: arquivo Santa Thereza

Um trabalho diferenciado, de gerao em gerao.

Atravessando Fronteiras

Colunas Internacionais

Algo Mudou...
Algo Mudou... Penso que, com a passagem do tempo, as coisas assumem uma outra dimensão. Um garanhão de três vezes de um teste foi-é-será um pergaminho muito grande para qualquer cabanha. Lembro-me de ser muito jovem e ir com meu pai para Palermo. Um amador de Palermo, onde os galpões eram galpões, onde pessoas amarradas aos cavalos reunidos nas gavetas. Nesse quadro, o Dormido El Afinao foi três vezes campeão Felipe Z. Ballester. Era um cavalo muito equilibrado em todos os testes, sem dúvida, no pódio dos cavalos mais dispostos do que eu tinha a alegria de andar. Ágil, muito suave, boas voltas, boas entradas de pernas. Embora o número de concorrentes tenha sido menor, mas o concurso foi complexo. O regulamento disse que se ele fosse um três vezes campeão de uma corrida, ele não poderia continuar a competir. Assim foi. Como pai, ele era muito proeminente, sem ter um grande número de filhos. O primeiro que lembro foi o Dançarino, campeão do mesmo evento e um finalista de aparência e rodeios. La Pulga Brava foi outra filha destacada, campeã reservada de Rosario, finalista várias vezes de rodeios. O Dançarino também foi um finalista de rodeio. La Mala Gata foi um freio de ouro na Argentina e correu o final do freio no Brasil. Há outro filho que foi o preço Record no Remate do San Baldomero Cabin que era o Chicken Dies. Embora tenha sido deixado para reprodução, é lá que eu supero. Crianças que foram excelentes campeões de Palermo e Outono. Finalistas do freio, Felipe Z. Ballester e rodeos. O pai de El Afinao, San Pedro Huaso, era um grande pai. Funcionou, teve grandes condições. Sua mãe foi importada do Chile, com sangue aberto. Foi executado por Francisco Rey, e seu cavaleiro nas instâncias definidoras foi Martin Contreras, com quem formou um grande binômio. Como o cavalo era grande, passou seus anos na companhia de Chicha Baya. Eles tiveram vários irmãos que reproduziram muito bem, por exemplo a mãe Polillita do Spyglass, campeão de Trenque Lauquen. Eu acho que sem dúvida ele está no seleto grupo daqueles que fizeram que alguma coisa mude... Fotos: Arquivo Cristián Rey

Algo Mudou...

O Veterinário

Sanidade animal

Contraste da aplicação de Medicina Esportiva nos Cavalos Crioulos.
(Importância e relevância no meio esportivo - Freio de Ouro) Atualmente observa-se que a raça equina crioula vive em constante mudança na busca da melhor performance . Percebe-se que a raça tenta enquadrar-se cada vez mais aos padrões deportivos equestres em todos os sentidos agregando novidades e avanços como por exemplo exames anti dopagem, checagem clinica , cuidados com a integridade animal em geral entre outras .. A meu ver tudo isso corresponde ao avanço natural das atividades conforme a necessidade e adaptação ao que acredita-se hoje ser o melhor para a integridade dos atletas e consequentemente do esporte, porém entendo que existe um tabu a ser vencido assim como assimilado de um esporte que de certa forma é novo assim como sua cultura caracterizada por condutas tradicionalistas as quais , de certa forma, não esperavam tantas mudanças no âmbito deportivo . Quando digo tabu , refiro-me a necessidade que a raça tem de tentar transformar uma prova cujo objetivo caracteriza a melhoramento genético porém deve adaptar-se a moldes deportivos mudando assim muitas situações as quais a pouco tempo nao se imaginava ou se estava preparado. Refiro-me por exemplo a um treinador ("ginete"), ao qual hoje deve pensar não só na conduta do treinamento mas também em grande cuidado com a integridade de seu animal desde a alimentação e manejo até mesmo a proteção dos mesmos para que possam chegar íntegros as competições . De certa forma e por obviedade em tempos mais antigos acredito que a preocupação com os animais existia porém não tão aprimorada como acontece hoje, onde os treinadores preparam-se cada vez mais na busca de informações para o que acredita-se ser o melhor para o cavalo.. Contudo também torna-se realidade a preocupação com o tratamento dos atletas (equinos) através da busca de profissionais da área (veterinários) aos quais preparam e desenvolvem projetos de manejo para os animais no sentido de proporcionar os melhores padrões de saúde e integridade aos mesmos .. Então vejo que o mundo do cavalo crioulo de Freio de Ouro já a algum tempo abre mercados como a Medicina Esportiva e gera uma cultura profissional por parte dos treinadores e cada vez mais por criadores, aos quais também fomentam o desenvolvimento da raça e assim enquadram e aprimoram um modelo de prova cujo ganha cada vez mais espaço no senário equestre tornando-se desta forma um espetáculo mais profissional e mais bonito ...

Contraste da aplicao de Medicina Esportiva nos Cavalos Crioulos.

Bem estar Animal

A vida do campo

"Eu seleciono minhas vacas como meus cachorros"
Meus cachorros são Border Collie. Em Anglo-Saxon Collie significa útil. A corrida é provada ser a mais inteligente medida em sua capacidade de interpretar novos slogans em menos de cinco repetições e executá-los na primeira indicação mais de 95% do tempo. A raça nunca teve um padrão morfológico e foi selecionada basicamente por sua funcionalidade. Qual é a minha vaca útil e funcional? Aquele que tem a melhor relação entre o custo de manutenção e a quantidade de quilos de panturrilha produzida por ano, macia para engordar e vender ao mais alto preço de mercado. Eles não têm um fenótipo predeterminado, mas isso é uma conseqüência de sua inter-relação com o meio ambiente em que eles se encontram. Eles são de tipo uniforme e previsíveis na progênie. Eles têm a capacidade de tolerar os erros cometidos, eles são dóceis, de longa vida e devem andar em ciclo baixo nas condições do corpo. Como ruminantes alimentados com forragens fibrosas, eles precisam ter um grande tanque de fermentação (capacidade ruminal). Este processo é uma fonte adicional de calor, que adicionou ao mecanismo de transpiração ambiental e limitado, requer uma boa capacidade pulmonar para a dissipação. Cada estabelecimento é único. Seu meio ambiente não é apenas composto de solo, clima e vegetação, mas também por sua extensão, recursos físicos e econômicos, pela necessidade ou não de obter renda e pela cultura, filosofia e gosto pessoal de sua proprietários Ela varia se for dedicada unicamente à criação ou seja integrada com criação e ou engorda e acabamento. Portanto, cada um deve encontrar sua própria vaca "Collie", a que mais eficientemente interage nesse ambiente dado. Definir o ambiente de cada estabelecimento e / ou empresa não é tarefa de técnicos teóricos em visitas esporádicas ou agentes comerciais ansiosos para vender tecnologia, mas o campista (observador) do seu proprietário e / ou seu gerente e bom senso. Eles devem fazer um grande esforço para estabelecer objetivamente onde eles estão, onde eles querem ir e qual caminho eles vão levar. Eles devem tentar maximizar a utilidade das vantagens comparativas e minimizar o efeito negativo das limitações. Eles devem evitar contradizer as condições ambientais em tudo o que é possível e acompanhá-las em uma coexistência sustentável. Eles devem ouvir aqueles que se queimaram com leite para não chorar. Muita sorte! Por Horacio Vera Fonte: Foro Rural

Camineira