colunas

EFEITO BORBOLETA
por Daniel Giron Azevedo

Data: quinta, 11 de abril de 2019 - Hora: 08:55


Sol brando, cedo da manhã e já reiniciávamos o intenso treinamento que havíamos parado na noite anterior. Encostei a rédea no pescoço da égua tordilha e foi como se queimasse, ela girou com velocidade e destreza. Fiquei até orgulhoso e cada vez mais convencido de que o caminho para as melhores performances não é outro, senão a dedicação intensa, e realmente, havíamos trabalhado muito nos últimos dias. Por curiosidade e a revelia da adrenalina e do entusiasmo do momento, uma borboleta pousou calmamente no pescoço da égua, o inusitado da cena me fez parar, foi suficiente para que eu dedicasse atenção àquele ser que cativava com sua destemida fragilidade.

Era a pequena borboleta descansando no pescoço forte daquele animal de veias pulsantes e respiração ofegante, era uma égua de 400 kg atenta e a postos para iniciar novos movimentos com grande explosão e intensidade. Foi então que percebi, neste contraste, que a qualidade da minha relação com a Tordilha já não era mais a mesma, apesar dos progressos de suas habilidades, algo da nossa empatia havia se perdido.

Treinamento é foco, ouvi dizer! E eu, que me encontrava ali tão distraído por uma borboleta, modifiquei completamente nosso treino daquele dia. É, por vezes o que precisamos é menos foco e mais visão. Saí a passo por um caminho diferente, a Tordilha baixando o ritmo da respiração e eu a cantar uma das antigas como quem recita um mantra: "... procura à volta do pingo e alça o corpo sem receio, quanto uma borboleta senta na perna do freio, até enterte o cristão que se cruza campo a fora..." Realizamos um passeio lento e tranqüilo, evitei qualquer cobrança relacionada à performance, prestei atenção apenas no "temperamento” de minha égua, realizamos somente exercícios de relaxamento. Enfim, vi surgir novamente minha boa vontade em compreendê-la, em identificar melhor suas vontades e agradá-la, para isso não fora necessário mais do que uma mudança de ritmo e um tempo para apreciar o trajeto.

Paramos à sombra de uma antiga árvore e vi seu pescoço sem veias saltadas, senti seu plácido suspiro, aquele em que o cavalo abaixa a cabeça em sinal de grande relaxamento.
Se é verdade a teoria de que: "uma coisa tão simples quanto o bater de asas de uma borboleta pode causar um tufão do outro lado do mundo" eu não sei, mas é fato que o "Efeito Borboleta" é algo realmente impressionante. Bastou a delicadeza de uma borboleta para me lembrar da importância de se cultivar boas relações, independentemente das exigências de desempenho ou da dificuldade da tarefa que se realiza em conjunto. Tamanha é a simplicidade disto e tamanha é sua relevância , sabemos o quanto as relações de trabalho podem melhorar com pequenas iniciativas de lazer e cuidado entre colegas.

Isto sem precisar mencionar o quanto, em nossas relações mais íntima, uma mudança de ritmo ou de rota pode ser bem vinda, pode renovar encanto, algo do tipo: "O mundo anda tão complicado que hoje eu quero fazer, tudo por você". Então amigos lhes digo, sempre que a delicadeza contrastar em demasia com nosso mundo é chegada a hora de mudar de foco



Venha e participe Conosco!
Deixe seu comentário,
Até a próxima.

Já viu os animais que vendemos? Veja Aqui!