11111111111111Fago Espndola j se prepara para novas provas

Expointer 2020

Fagão Espíndola já se prepara para novas provas

Data: terça, 29 de setembro de 2020 - Hora: 20:42

Engane-se quem pensa que Fagner Espíndola pode descansar depois das finais do Freio de Ouro. Ele mal colocou na estante o Freio de Bronze, levantado no último domingo, e já está se preparando para novos desafios.  Para Fagão - assim ele é conhecido por todos – o ciclo 2021 da raça crioula já começou, tanto que ele já havia iniciado a preparação. “Agora vou afinar os treinos para as credenciadoras”, garante. 

Preocupado com a saúde dos animais que treina, Fagão dá atenção especial à alimentação. “A alimentação balanceada auxilia na composição do condicionamento físico”, destaca o ginete. O Centro de Treinamento Três Pontas, onde trabalha, fica em São João do Sul, Santa Catarina.

Na 39ª edição do Freio de Ouro, Fagão montou Zêzere do Canguçu, de sete anos, pertencente ao consórcio Cabanha OJ, Cabaña Cerro Chenque e Cabaña La Delfina (Erechim/Argentina).  O equino iniciou as provas finais com uma nota modesta na morfologia (7.360), se recuperou nas provas funcionais e alcançou 21.242 pontos. “É um cavalo com temperamento extraordinário, muito manso e de muita índole”, elogiou o treinador. Perguntado sobre qual prova é melhor de ser feita com o Zêzere, Fagão diz que não sabe como escolher. “O que posso é garantir que, com atleta, ele tem estrela”, vibra. 

Dono de um Freio de Bronze, um de Alpaca, um Bocal de Prata e um de Alpaca, o ginete conta que começou a treinar em 2011. Discreto, garante que as coisas correram muito rápido quando o assunto é o Freio de Ouro. “Sou muito realizado e isso me faz querer trabalhar mais, me dedicar ainda mais”, confessa. 

Fagão Espíndola já se prepara para novas provas

Engane-se quem pensa que Fagner Espíndola pode descansar depois das finais do Freio de Ouro. Ele mal colocou na estante o Freio de Bronze, levantado no último domingo, e já está se preparando para novos desafios.  Para Fagão - assim ele é conhecido por todos – o ciclo 2021 da raça crioula já começou, tanto que ele já havia iniciado a preparação. “Agora vou afinar os treinos para as credenciadoras”, garante. 

Preocupado com a saúde dos animais que treina, Fagão dá atenção especial à alimentação. “A alimentação balanceada auxilia na composição do condicionamento físico”, destaca o ginete. O Centro de Treinamento Três Pontas, onde trabalha, fica em São João do Sul, Santa Catarina.

Na 39ª edição do Freio de Ouro, Fagão montou Zêzere do Canguçu, de sete anos, pertencente ao consórcio Cabanha OJ, Cabaña Cerro Chenque e Cabaña La Delfina (Erechim/Argentina).  O equino iniciou as provas finais com uma nota modesta na morfologia (7.360), se recuperou nas provas funcionais e alcançou 21.242 pontos.




“É um cavalo com temperamento extraordinário, muito manso e de muita índole”, elogiou o treinador. Perguntado sobre qual prova é melhor de ser feita com o Zêzere, Fagão diz que não sabe como escolher. “O que posso é garantir que, com atleta, ele tem estrela”, vibra. 




Dono de um Freio de Bronze, um de Alpaca, um Bocal de Prata e um de Alpaca, o ginete conta que começou a treinar em 2011. Discreto, garante que as coisas correram muito rápido quando o assunto é o Freio de Ouro. “Sou muito realizado e isso me faz querer trabalhar mais, me dedicar ainda mais”, confessa. 

Texto: Ieda Risco

Foto: Spolavori|Fotografias 

Apoio: Correaria Deponti, Cabanha Jobim, Terra de Cavalos, Spolavori Fotografias e Rádio Tertúlia




Venha e participe Conosco!
Deixe seu comentário,
Até a próxima.