11111111111111Regulamento do Crioulao alterado e categorias novas so criadas

criadores

Regulamento do Crioulaço é alterado e categorias novas são criadas

Data: terça, 6 de abril de 2021 - Hora: 09:51

Laço Prenda e Potro de Ouro são duas das novidades anunciadas pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos com a alteração no regulamento do Crioulaço para o ciclo 2022.  Além das duas novas modalidades de provas também haverá a criação da Força C e do Laço Criador. 

As mudanças foram definidas pelos membros da Comissão de Provas Funcionais (CPF) e do Conselho Deliberativo Técnico (CDT) da ABCCC, juntamente com o Setor de Provas Funcionais, Exposições Morfológicas e Expansão. Foram apresentadas adições e alterações que podem ser conferidas, na íntegra, no site da associação. 

Para o Coordenador da Subcomissão de Crioulaço, Marcelo da Cruz Corrêa, as mudanças vão ao encontro do constante crescimento da modalidade na raça Crioula, além de incluir os desejos de quem pratica a prova de laço comprido. “Em conjunto com a ABCCC nós criamos mais uma modalidade de laço e Potro Ouro depois de inúmeros pedidos de quem já pratica o esporte e sempre teve vontade de participar das competições. A força C e o Laço Prenda vão abraçar inúmeros criadores de várias faixas etárias, tornando o nosso esporte ainda mais inclusivo. Nas outras alterações nós sempre tivemos o cuidado de seguir o padrão já pré-estabelecido pela associação, deixando a prova ainda mais consistente e profissional, o que auxilia no crescimento da modalidade”, finaliza.  





 

Seguindo o mesmo regulamento das duplas, Força C é criada na modalidade Laço Criador:

Art. 20 – Todos os conjuntos inscritos se classificam para etapa Final Nacional, de acordo com sua colocação na etapa Classificatória.

 I – Se classificam para a Força A da Final Nacional do Laço Criador os três primeiros laçadores colocadas de cada etapa Classificatória da categoria Laço Criador;

 II – Se classificam para a Força B da Final Nacional do Laço Criador os laçadores que passam à fase final de cada etapa Classificatória da categoria Laço Criador; 

III - Se classificam para a Força C da Final Nacional do Laço Criador o restante dos laçadores participantes de cada etapa Classificatória da categoria Laço Criador. 

 

Disputada junto com a grande final do Crioulaço, Laço Prenda abre espaço para laçadoras:

Art. 38 – Durante a Final Nacional será realizada uma prova do Laço Prenda, onde: 

I – As laçadoras deverão ser do sexo feminino, não tendo limite de idade. 

II – Na competição haverá as Forças A, B e C e as laçadoras escolherão a força na qual irão concorrer. 

III – Todos os conjuntos terão 4 passadas, classificando-se para a fase final as laçadoras que obtiverem no mínimo 2 armadas acertadas.

 

Potro de Ouro se junta às novas categorias oficiais do Crioulaço:

Art. 23 – Para participação na categoria Potro é obrigatório que o animal esteja participando da categoria Crioulaço (duplas) ou da categoria Laço Criador. 

Art. 24 – Para homologação e validação da prova da categoria Potro, é necessário que se tenha no mínimo 4 animais concorrendo dentro da categoria Crioulaço (duplas). 

Art. 25 – Na categoria Potro o animal concorrente obrigatoriamente deverá ter no máximo 40 meses de idade na data de início da prova da etapa Classificatória. Parágrafo Único – Em caso de a Final Nacional tiver inscrição livre, o animal deverá ter a idade regulamentar na data da prova. 

Art. 26 – A prova é realizada em caráter individual. 

Art. 27 – Todos os animais que finalizarem a prova estarão classificados à etapa Final da categoria Potro. 

 

Alterado o número de rodadas por participante na grande final:

Art. 31 – Na etapa Final Nacional da categoria Crioulaço, todas as duplas terão 2 rodadas, independente da Força, classificando-se para a fase final da prova as duplas que obtiverem o mínimo de aproveitamento conforme a tabela.

  

Art. 32 – Na etapa Final Nacional da categoria Laço Criador, todos os conjuntos terão 4 rodadas, classificando-se para fase final os conjuntos que obtiverem o mínimo de aproveitamento, conforme a tabela. 

Fonte: ABCCC

Edição: Cosas del Campo

Foto: Leandro Vieira/ABCCC

 




Venha e participe Conosco!
Deixe seu comentário,
Até a próxima.