11111111111111Quando o amor pelos cavalos se junto ao dom de educar crianas

Notícias

Quando o amor pelos cavalos se junto ao dom de educar crianças

Data: segunda, 19 de abril de 2021 - Hora: 19:46

Há 17 anos, Alexandre Félix se dedica a ensinar a arte de montar para crianças. Estima que em seu centro de treinamento já tenha atendido cerca de 400 crianças. O criador de cavalos crioulos de Caçapava do Sul não imaginava era o tamanho da repercussão de suas aulas de equitação e laço para um grupo muito especial. 

“Uma amiga, em 2003, me pediu que eu desse aulas para o irmão, Afonso, uma criança com necessidades especiais. E assim comecei”, conta Félix. Como não possui formação na área, não considerava o que fazia como equoterapia, mas sim uma complementação aos cuidados que o menino recebia. O atendimento começou em um centro de treinamentos de cavalos que Félix possuía no centro da cidade.

A escolinha, inicialmente para um aluno, acabou recebendo mais crianças para este atendimento diferenciado quando a APAE da cidade, com sede vizinha, levou seus alunos para lá. “Cedi as éguas para fazerem este trabalho especializado”, explica. Porém, como não possui uma área coberta, Félix não pode continuar a atuar junto à entidade, que procurou um novo local. 

Ele destaca que, entre os alunos, meninas são o grande destaque de sua escola. “São as mais fáceis de ensinar, atentas, corajosas e com muita postura no cavalo. Assim fica fácil!”, conta o professor orgulhoso de alunas como Rafaela. Segundo ele, os interesses são diversos. “Enquanto alguns pais só querem que os filhos tenham um contato com cavalos outros, há os donos doe propriedades que não tem tempo ou paciência para ensinar as crianças e querem que eles aprendam o laço”, explica.

Eliziane de Lima Xavier, contudo, faz parte de um outro grupo de pais, os que possuem filhos especiais. Ela conta que, ao ter o filho João diagnosticado com Espectro Autista, recebeu do médico o conselho para procurar equoterapia. “Ele falou que tudo era importante, como a musicoterapia, mas que com os cavalos, o tratamento seria especial”, relata. 



Na época, a mãe procurou pelo atendimento na cidade e não encontrou. Foi quando soube da existência da escolinha de Félix. “O Alexandre é especial. Tem muito muito amor pelas crianças e pelos cavalos e fiquei encantada pelo trabalho dele”, destaca Liziane e que João se apaixonou pelos cavalos!

Ela conta que João tinha quase oito anos quando foi diagnosticado e que após as aulas com os cavalos, progrediu muito em equilíbrio e que, hoje aos 10, só não anda de bicicleta ainda, mas pratica Taekwondo e não faz mais uso de medicação. “Agora é só acompanhamento psicológico e equoterapia”, comemora. O menino cursa o quinto ano do ensino fundamental em uma turma convencional e, no turno inverso, recebe atendimento focado em suas necessidades. 



O convívio do filho com os animais, faz Eliziane lembrar da infância. “Eu costumava visitar minha avó, que morava “pra fora” e lá, eu e meus primos montávamos numa pitiça do meu tio, os cinco juntos!”, conta, ao ressaltar o quanto gostavam e nem medo tinham. A família tem planos para adquirir um cavalo. Buscam por um animal muito manso, que seja extremamente seguro para o João montar. 

Em nosso canal no YouTube, postamos vídeos dos alunos de Félix em aula. Acesse o canal de Cosas del Campo, clique aqui para assisitir Afonso, Rafaela e João em plena atividade e aproveite para se cadastrar, deixar seu comentário e clicar no sininho para receber notificações. Você também pode clicar na imagem abaixo e se cadastrar para concorrer a uma cobertura de um cavalo prá lá de especial: Peleador do Itapororó. 





Fotos e vídeos: arquivo pessoal




Venha e participe Conosco!
Deixe seu comentário,
Até a próxima.