Sem Artigos do Campo no momento

#vidadocampo

Notícias

Notícias do Campo

Equiboard há mais de 20 anos contribui com desenvolvimento de cavalos
Com equipamentos de alta tecnologia para treinamentos e reabilitação equina, a empresa se faz presente em boa parte do mundo A empresa foi fundada há mais de 20 anos pelo professor e médico veterinário, Silvio Piotto. A ideia de montar a Equiboard surgiu após uma viagem aos Estados Unidos, onde ele observou uma grande variedade de equipamentos e se propôs a trazer tal tecnologia ao Brasil. De acordo com Piotto, o primeiro deles foi a Mesa Cirúrgica, a qual foi instalada em 1998 no Equicenter, em Tatuí/SP, e que hoje está em funcionamento com milhares de cirurgias realizadas. Silvio Piotto e a primeira mesa de empretec 1999 A Equiboard conta com um grupo de profissionais especializados, que segue desenvolvendo equipamentos com a mais alta tecnologia. Com a finalidade de treinamento e reabilitação equina e pet, sempre cultivando a cultura da qualidade e segurança. Antenados, os profissionais da companhia acompanham as tecnologias internacionais, para disponibilizarem a seus clientes equipamentos inovadores. Para levar ao mercado todas essas tecnologias, Piotto afirma que a Equiboard participa ativamente de eventos, feiras, campeonatos nacionais e internacionais do cavalo e do pet. A empresa está presente em todos os estados brasileiros e possuí forte presença na América Latina e também em alguns países da Europa. Seus principais equipamentos na área de equinos são: Hidro Esteiras, Caminhadores, Esteira de Alta Velocidade, Esteira de Treino, Sistema de Infravermelho para Reabilitação e SPA. O SPA é o lançamento do ano, com um sistema de refrigeração para o tratamento das doenças articulares do cavalo. Piotto discorre sobre alguns dos benefícios proporcionados pelos equipamentos Equiboard: "Com a utilização do Exercitador os potros jovens ficam mais calmos e se acidentam menos. Com isso, desenvolvem melhor sua estrutura esquelética e muscular, o que resulta em cavalos mais fortes e qualificados para as atividades que ele foi destinado. Já sobre a Hidro Esteira, o fato de a água ter uma resistência 12 vezes maior que o ar, exige maior esforço dos animais e gera um excelente resultado muscular sem impacto para o cavalo", expõe. Outro detalhe, salientado por ele, é que os cavalos podem ser treinados em um ambiente seguro, estável e controlado, evitando lesões musculares, tendinosas e articulares. E para o ano de 2019, o fundador e proprietário da empresa anunciou que a Equiboard trará muitas novidades, e que tudo pode ser acompanhado pelo site www.equiboard.com.br. Fonte: Cavalus Por Juliana Antonangelo/Editora Passos Fotos: Divulgação

Equiboard h mais de 20 anos contribui com desenvolvimento de cavalos

Colunistas

Artigos sobre o Agro Negócio

Final do ciclo Freio de Ouro 2018
Depois de mais de cincuenta credenciadoras e nove clasificatórias onde participaram perto de mil quinientos machos e fêmeas da raça, só chegaram os melhores cinquenta e dois de cada sexo para a grande final do Freio de Ouro em Esteio. Em uma semana começa, no Parque Assis Brasil na localidade gaúcha próxima a Porto Alegre, a competência mais importante de cavalos crioulos, com a etapa morfológica. A partir de manhã de quinta-feira 23 se julgaram as fêmeas e pela tarde os machos para entrar nas etapas funcionais a partir da sexta feira 24 até domingo 26. Participarão animais de Brasil, Uruguay e Argentina em um Freio de Ouro que promete uma disputa muito parelha sobre tudo por ser ano de FICCC, o qual agrega uma clasficatória mais e de altíssimo nível. Entre os candidatos a ganhar o título tem dois ex campeões como o zaino JA Libertador, que fosse Freio de Ouro em 2015 e a égua tostada Capanegra Quinta Sinfonía, ganhadora o ano passado com pontuação funcional recorde. Mas nós estaremos especialmente na expectativa dos uruguaios, e espero que aconteça outro "batacazo" em Brasil, como na FICCC no mês de maio. Dois garanhões e uma égua nos representarão e confio plenamente em que os três possam cumprir uma atuação de grande nível. Os três ganharam sua respectiva classificatória com boa pontuação tanto morfológicos como funcionais. Colibrí Matrero, o Freio de Ouro FICCC deste ano, é sem dúvidas, um dos candidatos ao pódio. O picaço de La Pacifica de Juan Salustiano Peirano teve a pontuação geral e morfológica mais alta dos cinquenta e dois machos classificados, que se bem são só estatísticas que não se têm em conta para a final, de certa forma é uma garantia altamente alentadora. O jinete de Matrero será o brasileiro Gabriel Marty quem o conhece e me consta, tem muita confiança no animal que vestirá o colete número 68. O lobuno Dansarino de La Colina, propriedade da cabanha La Colina de Marcial Terra, será o box 74. Este cavalo se mante no quarto lugar dentro do ranking de classificados e com o ginete brasileiro Claudio Fagundes buscarão fazer valer essa estatística. É importante lembrar que Fagundes é um dos melhores ginetes do circuito, tendo logrado ganhar um Freio de Ouro e três Freios de Prata, sendo o último o ano passado. Quelén Provinciana, a rosilha colorada de La Quebrada de Aznarez Elorza Hermanos, competirá com o box 51, sendo uma das éguas mais velhas da prova. Ademais, têm várias particularidades, será a única égua extrengeira e o único animal com ginete estrangeiro, por tanto um binômio 100% uruguaio. Mauro Villar será quem montará esta excelente égua que está em seu melhor momento desde que compete. Está na colocação número dezoito dentro das classificadas. A propósito, estive conversando com sua proprietária, Alma Elorza de Aznárez, quem nos manifestou que "A Provinciana está bem, treinando com tranquilidade porque é uma égua quem têm participado várias vezes e tem pequenos detalhes a melhorar. Sem dúvidas é uma égua muito potente, com muita força e sensível, virtudes que por um lado fazem o trabalho mais fácil para o ginete, mas que por outro, têm que ter muito cuidado e ser delicado no manejo da sua equitação. É muito veloz, coisa que é uma tranquilidade para o ginete na prova de campo. O mais importante é que está saudável. Não têm lesões, o que não é menor para uma competência tão exigente. As expectativas é que faça uma boa prova e possa demonstrar todas as suas qualidades, cumprindo todas as etapas em seu máximo potencial sem cometer erros. Se logra isso, será uma grande satisfação. " Destacou a experiente criadora. Como nombrei várias vezes nesta coluna, o Freio é uma prova muito exigente e na final chegam excelentes produtos e ginetes da raça, o que transforma este notável espetáculo em uma competência muito competitiva e difícil. Como fazemos ao longo dos anos, desde que nos apaixonou o mundo dos cavalos crioulos, estaremos no lugar para vivenciar os fatos para viver de perto tudo o que aconteça dentro e fora da pista e desejando que os uruguaios tenham um grande desempenho e por que não, trazer algum Freio para Uruguay, coisa que não acontece desde 2008 quando Jagüel Boca Preta ganhou o Freio de Bronze.

Final do ciclo Freio de Ouro 2018